Plantão
POLÍTICA:

#MulheresContraBolsonaro é um dos assuntos mais comentados no mundo...

Publicado dia 17/09/2018 às 07h56min
Tag denunciando e repudiando ataque hacker ao grupo entrou para os assuntos mais comentados do Twitter com cerca de 70 mil menções

Após ataque hacker contra o grupo "Mulheres Unidas Contra Bolsonaro", que reunia mais de dois milhões de membros, a tag #MulheresContrraOBolsonaro entrou para os trend topics mundiais do Twitter, os assuntos mais comentados na rede social, com cerca de 70 mil menções no final da tarde deste domingo (16), segundo o site talkwalker. "O grupo era autêntico, apartidário e plural. A galera que apoia o cara não aguentou ver a voz de mais de 2 MILHÕES de mulheres e foi lá acabar com o negócio", desabafou Sara Sa.

A candidata Marina Silva (Rede), prestou solidariedade ao grupo e afirmou que o ciberatque "é uma demonstração de como ditaduras operam. Qualquer ato autoritário é inaceitável, venha de onde vier, seja contra quem for." 

O perfil Dilma Bolada também figura na tag, afirmando que o ataque ao grupo "só o tornou maior e ainda criou pelo menos uns outros 10 que somam outras 1 milhão de mulheres."

Diversos atos políticos em repúdio a Bolsonaro estão marcados para acontecer em todos os estados do Brasil no próximo dia 29. No Recife, o ato está marcado para ser realizado na Praça do Derby, área central da cidade, às 14h. Guilherme Boulos (Psol) também utilizou a tag para se posicionar e anunciar as mobilizações de repúdio.

O candidato Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável Jair Bolsonaro, diz em sua página do Facebook que "Uma página qualquer do facebook tinha 1 milhão de seguidores quando foi vendida para a esquerda. Então, sem qualquer vergonha, eles mudaram o nome dela para "Mulheres Unidas Contra Bolsonaro" e saiu alardeando por aí que havia uma onda de mulheres contra o presidenciável" e acusa o jornal britânico The Guardian de publicar fake news sobre o caso.

Fonte: FolhaPE