Plantão
POLÍCIA:

Namorada de pedófilo admite que permitiu que ele estuprasse sua filha de 10 anos até ela engravida

Publicado dia 28/09/2018 às 07h59min
A vítima, agora com 12 anos, está atualmente em um orfanato. Sua mãe não pode contatá-la até que o conselheiro da menina “considere apropriado”.

Na terça-feira, uma mulher de Indiana confessou ter permitido que seu namorado pedófilo condenado tivesse acesso a sua jovem filha, até mesmo permitindo que ele morasse em sua casa e realizasse atos de doença na menina depois que ela descobriu que ele estava a molestando

 

A FOX News informa que a mulher não identificada, de 33 anos, admitiu que permitiu que seu namorado, Nicholas Deon Thrash, de 34 anos, morasse com ela depois que sua jovem filha lhe contou que o homem a agrediu sexualmente . A menina, 10 na época, acabou grávida, segundo documentos judiciais. Em setembro de 2017, a menina deu à luz um menino.

 

A mãe é acusada de dizer à menina para dizer que uma colega de classe a engravidou. Ninguém na família relatou a gravidez à polícia, nem alguém fez Thrash atacar a garota.

Thrash recebeu uma sentença de 160 anos de prisão na quinta-feira passada por condenações de 10 acusações de abuso sexual infantil. Um relatório de causa provável afirmou que ele começou a molestar a menina quando ela tinha 8 anos, forçando-a a fazer sexo com ele enquanto ele morava com ela e a mãe em sua casa na Geórgia. Eles acabaram se mudando para Indiana, onde o abuso continuou.

 

Oficiais do Departamento de Polícia Marion de Indiana disseram ao tribunal que crianças assistentes sociais na Geórgia foram alertadas sobre possíveis abusos. A polícia aparentemente abriu uma investigação e encontrou o DNA masculino na cueca da vítima. As autoridades da Geórgia começaram a procurar por Thrash, mas fugiram para Indiana antes de serem detidos.

 

Antes de se mudar para Indiana, a mãe assinou um “plano de segurança” que exigia que ela mantivesse seu filho longe de Thrash em todos os momentos. Além disso, ela admitiu que mentiu para a polícia da Geórgia e de Indiana sobre o paradeiro de Thrash.

 

Enquanto em Indiana, a mãe da menina levou-a para uma clínica de aborto assim que soube da gravidez. A clínica se recusou a realizar o procedimento, de acordo com documentos judiciais. Um grupo de manifestantes teria visto a criança na clínica e relatado o incidente à polícia.

 

Thrash negou qualquer tipo de envolvimento sexual com a vítima, mesmo alegando que a mãe da menina o criou “inseminando artificialmente” a menina depois que ela pegou o esperma. O júri discordou. Thrash deve cumprir pelo menos 85% de sua sentença antes do lançamento.

 

“Obviamente, estou extremamente satisfeito com a sentença”, disse Lisa Glancy, vice-promotora-adjunta do condado de Grant, ao The Washington Post . “Cento e sessenta anos é o que eu pedi. Com base nos fatos e na natureza flagrante do crime, achei que era justificável. Estou satisfeito com a criança.

 

A mãe da criança foi condenada a servir 20 anos atrás das grades, como parte de um acordo judicial que ela concordou. Seu nome foi retido para proteger a identidade da criança.

 

“Estávamos certamente prontos para ir a julgamento em algumas semanas, mas o número emocional e psicológico teria sido significativamente maior (para este teste) do que o de Thrash”, acrescentou Glancy, referindo-se ao acordo judicial da mulher.

 

A vítima, agora com 12 anos, está atualmente em um orfanato. Sua mãe não pode contatá-la até que o conselheiro da menina “considere apropriado”. O bebê que ela deu à luz foi colocado para adoção.

Fonte: FOX

ÚLTIMAS Notícias

Fale Conosco

Centro Timbaúba
(81) 99112-3769 | | (81) 99699-1738
blogdocarlosaraujo2013@hotmail.com