Plantão
CORRUPÇÃO:

Operação mira fraudes em previdência de cidade de PE...

Publicado dia 20/10/2018 às 09h40min
Esquema criminoso conduzido a mando do prefeito desviou mais de R$ 90 milhões para fundos de investimentos compostos por ativos "podres"
Operação Abismo, da Polícia Federal, cumpre mandados contra esquema de fraude em previdênciaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Abismo, na manhã desta sexta-feira (19), para desarticular um esquema de fraudes no Instituto de Previdência dos servidores públicos de um município da Região Metropolitana do Recife (RMR). Segundo a PF, foram transferidos mais de R$ 90 milhões para fundos de investimentos compostos por ativos "podres", sem lastro e com grande probabilidade de não pagamento das aposentadorias no futuro. O montante encontrava-se investido anteriormente em instituições sólidas. 

As investigações começaram em março de 2018 e apontam que as fraudes foram executadas a mando do prefeito da cidade. Estão sendo cumpridos 42 mandados de busca e apreensãodez mandados de prisão preventiva e 12 mandados de prisão temporária contra empresários, lobistas, advogados, políticos, religiosos e outros envolvidos no esquema criminoso. Os nomes dos envolvidos ainda não foram divulgados pela PF, uma vez que as investigações da operação ainda estão sob sigilo.

Ao todo são 64 ordens judiciais expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) e cumpridas nos estados de Pernambuco (no Cabo; em Salgueiro, no Sertão; e Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Norte), São PauloRio de JaneiroParaíbaDistrito Federal, Goiás e Santa Catarina

O TRF-5 ainda autorizou o sequestro e bloqueio de bens e valores depositados em contas em nome dos investigados. As investigações imputaram aos suspeitos os crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa, crimes financeiros e corrupção ativa e passiva. As penas podem chegar a até 30 anos de reclusão

Os presos serão levados à sede da PF, no Cais do Apolo, no Bairro do Recife, área central da Capital, onde serão interrogados e encaminhados para os sistemas prisionais. Nos outros estados onde estão sendo cumpridos os mandados, os presos serão encaminhados aos respectivos sistemas prisionais e ficarão à disposição do TRF-5.

Fonte: FolhaPE